A minha filha masturba-se. E agora?



Já na altura em que trabalhei num ATL, ficava chocada quando os meus colegas me contavam histórias de crianças com 4/5 anos a masturbarem-se debaixo das mesas ou nas casas de banhos. Nos meus inocentes 21 anos, pensei sinceramente que isso era algo que só acontecia a partir dos 12 anos.

O tempo passou a Leonor nasceu, e após fazer os 4 anos, começamos a notar diferenças nos comportamentos dela. Ficava curiosa e demasiado sossegada, ao que se passava nos filmes, series, novelas e até anúncios.
Pouco antes de fazer os 5 anos, foi quando me apercebi, que a Leonor largava tudo o que estivesse a fazer (fosse a brincar com os bebés, desenhar ou ver desenhos animados) e ia para a cama agarrava-se a um peluche, esfregava-se contra ele como se não houvesse amanhã. Quando o vi pela pela primeira vez foi um misto de sensações, surpresa, choque, sem saber como reagir, se é que devia reagir.

Leonor o que estás a fazer?
Nitidamente a Leonor sentiu-se apanhada em flagrante, levantou-se rapidamente e ficou à espera da reprimenda, que não veio. 
Leonor deixas-te a tv ligada, achas bem? Se não estás a ver sabes que a tens de desligar...

E virei costas.
Passados uns tempos a Leonor parece não se importar se estamos ou não presentes, simplesmente põe-se à vontade, apalpa, mexe, esfrega. E cada vez com mais frequência...portanto a teoria do não dizer nada, que vai passar, é para esquecer, surtiu o efeito contrário. A Leonor sentiu-se à vontade para o fazer em qualquer hora, em qualquer lugar, pois a mãe e a avó não disseram nada, nem ralharam, portanto posso fazer.

E essa é outra, a minha mãe ficou realmente incomodada com o assunto, e pareceu-me que ficou ainda mais incomodada com a minha solução.

Eis a última vez que apanhei a Leonor na sua exploração sexual:

Leonor o que estás a fazer? (silencio) Pára se faz favor, agora senta-te na cama e vamos conversar. É normal as meninas mexerem no pipi, eu percebo, tu gostas, mas não podemos fazer quando estão outras pessoas perto de nós. ( Foi nesta altura que a minha mãe abriu muito os olhos) Se queres fazer faz, mas só quando estiveres sozinha. Tu não vês a mãe a fazer isso pois não? E também não vês a avó, nem o tio, pois não? É porque nós fazemos quando ninguém está perto de nós.

Caso da Leonor resolvido, ela nunca está sozinha em casa. eheheh
Ralhar, bater não resolve (Vou ser sincera, depende das situações, mas fica para outro post). Estamos cada vez mais na geração, que eu chamo de geração precoce. Começam cedo a mexer em telemóveis, tablets, a pôr filmes, mudam de canal. E foi após estes episódios que cheguei à conclusão que a Leonor gostava de ver novelas, filmes e por aí fora, ela observava atentamente as cenas de "amor" que são cada vez mais explicitas.

O certo é que tem-se vindo a banalizar de tal forma a sexualidade que a tornamos em algo corriqueiro. Para nós adultos, passa-nos à frente e já não nos causa qualquer tipo de sentimento ou reacção. Mas nas crianças pequenas, ohhh a essas nada lhes escapa e não descansam até aprenderem o que significa.